Telefone: (84) 3412-4414 | WhatsApp: (84) 99802-2547

RN registra oito casos de raiva em morcegos nos primeiros dois meses de 2019


Postado em 13 de Março de 2019 - 7:15h

O Rio Grande do Norte registrou de janeiro até o dia 7 de março deste ano oito casos de raiva em morcegos e um em bovino no estado. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap), em relatório divulgado nesta terça-feira (12).

Os morcegos diagnosticados com a doença estavam em Macaíba, Nova Cruz, Parnamirim, Santo Antônio e Caicó. O bovino era de João Câmara.

Segundo os relatórios do Programa Estadual de Controle da Raiva da Sesap, os casos positivos de raiva em morcegos têm aumentado acima da média nos últimos cinco anos no Rio Grande do Norte. No ano de 2018 foram diagnosticados laboratorialmente, ao todo, 40 animais raivosos em 21 municípios do estado. Desses, 33 eram morcegos.

Esse aumento tem preocupado a equipe técnica do Programa Estadual de Controle da Raiva, já que a taxa de letalidade da doença é de 99,9% dos pacientes infectados pelo vírus. No Brasil, atualmente, o principal animal transmissor da raiva ao homem é o morcego.

Por isso, o programa orienta os municípios a fazerem o monitoramento dos casos e a população a ficar mais atenta às formas de prevenção da doença. As principais recomendações para evitar acidentes são: não manipular esses animais e utilizar telas (redes de proteção) nas janelas de apartamentos e prédios que ficam em locais arborizados. Se o morcego entrou no local e se ocorreu contato, a recomendação é buscar assistência médica.

A Sesap indica que as vítimas de mordeduras procurem imediatamente a unidade de saúde mais próxima e lavem o local com água corrente e sabão, porque o vírus rábico é muito sensível a agentes externos e essas medidas são fundamentais para a sobrevivência das pessoas infectadas.

A raiva é transmitida pela saliva do animal infectado através da pele ou mucosas – o que acontece por mordidas, arranhões ou lambidas.

Fonte: G1 RN